Instabilidade emocional, incertezas, solidão, falta de controle e outras emoções desgastantes, infelizmente, já conhecidas por algumas pessoas, porém, com a pandemia tudo se intensificou. Só que, para algumas, todos esses sentimentos são refletidos na alimentação.

Além de facilitar ou até mesmo ter relação direta com o desenvolvimento de algum transtorno alimentar, outra situação que, infelizmente, também cresceu, foi o retorno de transtornos já controlados. Anorexia, bulimia, compulsão alimentar, entre outros.

Sintomas que, até o início da pandemia estavam sob controle, voltaram a trazer prejuízos à saúde física e mental de uma pessoa. Mas, como eu disse: temos ainda o outro lado. Ou seja, pessoas que estão passando por isso pela primeira vez, situação que merece o mesmo nível de atenção, pois há certa dificuldade em perceber que algo não vai bem. Uma dificuldade em entender o que é normal, o que é um comportamento comum e o que já virou um problema.

O meu texto é um alerta? É sim.

Uma informação importante que quero passar com carinho e cuidado, pois quem percebe que está nessa situação precisa buscar ajuda profissional. Juntos (paciente, médico e outros profissionais da área da saúde) é possível não só controlar os efeitos das condições que prejudicam a saúde física e mental, como os transtornos alimentares, mas também devolver o bem-estar que todas as pessoas merecem.
Estamos aqui para te ajudar. Não se esqueça disso!⠀

#dramariaantoniasimoes #psiquiatriasp #psiquiatria #higienopolis #saúdemental #transtornosalimentares #transtornoalimentar #pandemia

Open chat